De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Colunistas

Querem ser mais felizes?

Neste Dia da Felicidade de 2018, gostava de vos falar um pouquinho mais sobre a Leonor.

A Leonor tinha um sonho: ir à Suíça. Não para se doutorar (como eu fiz), nem tão pouco para esquiar (como muitos Portugueses fizeram), mas sim para visitar a casa da Heidi.

Quem sabe quem é a Heidi?

Heidi é a grande protagonista de uma história infantil escrita por Johanna Spyri em 1880 (exactamente 100 anos antes de eu nascer) sobre a vida de uma menina suíça órfã.

Hoje esta história está traduzida em mais de 40 diferentes línguas e é um grande marco na literatura.

Órfã desde tenra idade, Heidi vive com a sua tia. Após receber uma proposta de trabalho irrecusável, a tia é obrigada a entregar Heidi ao seu avô, pastor de cabras, um senhor zangado com o mundo que vive isolado num planalto nos Alpes.

Ao chegar lá, Heidi apaixona-se de imediato pelas paisagens e pelos animais dos vales e das montanhas. Com o passar do tempo conquista também o coração do avô,  mostrando-lhe que é possível ser feliz e reencontrar a paz.

Alguns anos mais tarde, a tia decide levar Heidi para a Alemanha, mais precisamente para a cidade de Frankfurt am Main, onde Heidi irá fazer companhia a Clara, uma menina com paralisia.

Contudo, percebendo o quanto Heidi sofria longe dos Alpes Suíços, a tia leva-a de volta e logo depois Clara junta-se a ela e começam a viver grandes aventuras.

E agora talvez não saberão disto: aquando do nascimento desta história de Heidi, a escritora Johanna Spyri vivia num apartamento minúsculo no bairro mais pobre, sujo e barulhento da cidade de Zurique – o Kratzquartier (que muito a deve ter inspirado para esta história). Na verdade, um dos bairros mais chiques e ricos da cidade de Zurique quando eu lá vivi, pelo menos 124 anos depois de Johanna!

Em Zurique eu vivi numa residência universitária com 120 estudantes de todo o mundo, mas sempre que saía do trabalho fazia uma das ruas principais de Zurique a pé (passeio anti-stress), mesmo ao lado de onde viveu a escritora e nasceu a história de Heidi.

Voltando à Leonor, que me fez voltar às memórias dos dias felizes que vivi em Zurique: Sabem onde é que a Leonor foi no Dia da Mulher de 2018? À televisão! Exactamente contar como foi a sua viagem à Suíça: um sonho tornado real. Vejam aqui

Se ficaram com muita curiosidade para também irem visitar a aldeia da Heidi – mais precisamente Maienfeld (em português: Campo de Milho) vejam mais aqui ou aqui.

E se precisarem de guia portuguesa já sabem quem contratar! A Lê Belo, claro!

Já agora aproveito para vos convidar a todos para no Domingo de Páscoa 2018, que este ano coincide com o Dia das Mentiras 2018 (1 de Abril), irem à Casa da Música no Porto às 21h30.

Eu vou lá estar e a mãe da Leonor também!

Ah, e não se esqueçam, que amanhã é o Dia da Trissomia 21 2018 que se comemora há precisamente 12 anos, quase tanto como a idade da Lê – a primeira youtuber portuguesa com Trissomia 21.

Já devem ter reparado que sou fã de comemorações dos dias de tudo e de pessoas especiais, muitas delas santas. Sempre me fascinou o dar voz às pessoas, chamando a nossa atenção para as pessoas!