De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Mundo

Cabo Verde aposta nos emigrantes para se promover na América

As potencialidades de Cabo Verde vão ser divulgadas em Boston, a partir de segunda-feira, numa tentativa de o Governo cabo-verdiano chamar a atenção dos norte-americanos e à boleia dos emigrantes, face às trocas comerciais ainda incipientes.

Cerca de 250 convidados, entre investidores, líderes empresariais e membros do Governo cabo-verdiano são esperados em Boston, durante dois dias, para a segunda edição do Cabo Verde Investment Fórum.

“Vamos mostrar nos Estados Unidos que Cabo Verde é um país de oportunidades. Catalisar o investimento privado norte-americano para Cabo Verde, reforçar esses investimentos, e engajar a nossa diáspora nesse processo”, explicou, em entrevista à agência Lusa, antes de partir para Boston, o ministro de Estado cabo-verdiano.

Nos Estados Unidos, Fernando Elísio Freire, que tem ainda a pasta da presidência do Conselho de Ministros, junta-se à comitiva cabo-verdiana no evento, liderada pelo próprio primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

“Cabo Verde pode ser uma porta de entrada dos Estados Unidos no continente africano. Temos de dar a conhecer nos Estados Unidos um Cabo Verde de oportunidades, um país credível, seguro, sério e previsível, em que é possível investir”, assumiu.

Desde logo, e tendo como impulso o peso da extensa comunidade cabo-verdiana na região de Boston, o objetivo passa por aumentar as relações comerciais do arquipélago com os Estados Unidos. “É uma relação muito incipiente, não chega a 1% do nosso Produto Interno Bruto. Isso demonstra que ainda há muito para trabalhar”, admitiu.

Traduzindo em números, segundo dados do próprio Governo, as exportações cabo-verdianas para os Estados Unidos rondam os 80.000.000 escudos (725 mil euros) anuais, enquanto no sentido inverso as importações chegam aos 370.000.000 escudos (3,3 milhões de euros) por ano.

Com dois dias de contactos privilegiados com investidores e instituições norte-americanas, bem como com emigrantes cabo-verdianos com potencial e experiência para investir em Cabo Verde, a meta para este fórum passa por duplicar, a curto prazo, as relações comerciais entre os dois países e também pelo reforço do investimento direto norte-americano no país.

“Acreditamos que vamos engajar um bom valor, em termos de investimentos. Mas queremos que as trocas comerciais pelo menos dupliquem, mas que ainda será incipiente. Temos de trabalhar para que seja ainda mais”, reconheceu Fernando Elísio Freire.

Um dos pilares deste fórum é a diáspora cabo-verdiana, com a aposta na divulgação da nova proposta de lei do Investidor-Emigrante, já em análise no parlamento e que prevê medidas fiscais e aduaneiras para fomentar o investimento dos emigrantes.

Segue-se a aposta na divulgação das áreas que Cabo Verde vê como fundamental para desenvolvimento do país: Novas tecnologias, sistema financeiro e transportes. O turismo, com o objetivo de atingir em 2021 a meta de um milhão de turistas por ano, é quase transversal a todos os setores e à promoção de Cabo Verde.

“É uma estratégia para atrair turistas norte-americanos, que é um mercado que ainda temos por explorar”, assegurou o ministro de Estado.

O evento, dinamizado pelo Governo de Cabo Verde, pretende reunir parceiros internacionais, decisores, empreendedores e executivos financeiros que desejam promover e apoiar investimentos naquele país africano.

Através de vários painéis, o objetivo é “acelerar os investimentos do setor financeiro privado e público e dos investidores privados” que promovam o crescimento económico sustentável e a criação de emprego em Cabo Verde.

Em julho último, no final da edição anterior do Cabo Verde Investment Fórum, realizada na ilha cabo-verdiana do Sal, o ministro das Finanças, Olavo Correia, anunciou que o país conseguiu mobilizar naquele evento 1,5 mil milhões de euros em projetos e intenções de investimento privado.

Durante o evento, de 30 de setembro a 01 de outubro, está prevista a presença do primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, e outros membros do Governo, mas também do ‘mayor’ de Boston, Martin Walsh, e de empresários internacionais com investimentos em curso no país.

De acordo com estimativas das autoridades, vivem nos Estados Unidos entre 250.000 e 300.000 cabo-verdianos e descendentes.

Segundo o ministro Fernando Elísio Freire, a edição seguinte do Cabo Verde Investment Fórum será realizada numa cidade africana, ainda por definir.