De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Mundo

Plataforma de apoio psicológico conquista Portugal depois do Brasil

Dois portugueses lançaram em 2016 no Brasil e há quatro meses em Portugal uma plataforma de vídeoconsultas de psicologia e esperam faturar cerca de 2,1 milhões de euros no próximo ano.

“Em 2016 surgiu a ideia da Zenklub com um objetivo claro: queremos que as pessoas vivam melhor e sejam mais conscientes da importância do seu bem-estar emocional”, explicou Rui Brandão (na foto), que se juntou ao outro fundador, José Simões, engenheiro informático.

O início, em agosto de 2016, no Brasil deveu-se ao facto de ser um “mercado enorme e que já consome este tipo de serviços”, além de os empreendedores portugueses já conhecerem a realidade do país, onde moram há cerca de quatro anos.

À Lusa, o cofundador comentou que a ‘startup’ tem crescido consistentemente em 2017, ao faturar mais de 600 mil reais (cerca de 158 mil euros)”, enquanto para 2018 esperam atingir os “8 milhões de reais (cerca de 2,1 milhões de euros)”.

“No Brasil, a Zenklub é já uma plataforma de sucesso e reconhecida por mais de dois mil clientes e com um crescimento mensal de 30%. Em Portugal, a Zenklub foi lançada apenas há quatro meses, pelo que ainda representa uma fração pequena desta faturação, mas temos expectativas elevadas para 2018”, disse Rui Brandão.

Em Portugal, a plataforma tem 20 especialidades de psicologia disponíveis e 25 profissionais registados.

Na Brasil, a plataforma soma mais de 500 consultas por mês.

Alguns dos principais clientes têm sido portugueses expatriados, referiu ainda o cofundador, até porque tem a experiência de como “mudar de país e começar do zero é difícil e tem os seus momentos mais frágeis”.

“O mundo corporativo também tem mostrado uma boa recetividade, demonstrada por parcerias que já temos com empresas como a Uniplaces ou a Jerónimo Martins”, disse o médico, referindo que para o cliente final o valor médio é de 40 euros por consulta, enquanto através de uma empresa o valor pode chegar aos 15 euros.

“O valor da consulta é estipulado por cada profissional registado para cada 50 minutos de consulta, sendo que os valores das consultas são visíveis na plataforma, assim como o perfil e as áreas de especialidade de cada profissional”, precisou.

Os clientes devem ter apenas uma ligação à internet e uma câmara para aceder à plataforma, que utiliza uma “tecnologia de vídeo-consulta encriptada, para garantir a privacidade das sessões”.

Os empresários portugueses planeiam expandir o serviço para o mercado latino, de língua espanhola, no último trimestre de 2018.

“Até lá, vamo-nos focar na consolidação do mercado de língua portuguesa. Por isso, estamos neste momento a captar a segunda ronda de investimento que nos vai ajudar nesta fase de crescimento”, referiu Rui Brandão.

A ‘startup’ foi criada com um investimento inicial de 60 mil euros e recentemente foi distinguida pela aceleradora Startup Chile com um prémio de 25 mil euros.