De que está à procura ?

Comunidades

Luso-americanos pedem a Marcelo mais ensino de português

© Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ouviu no sábado um pedido para que volte a haver ensino do português em Artesia, Los Angeles, onde vivem milhares de luso-americanos, matéria em que o Governo prometeu apoio.

Por sua vez, sem falar concretamente do ensino em Artesia, o chefe de Estado concordou que é preciso “melhorar o conhecimento do português”, salientando que é “a quinta língua mais falada no mundo, e a segunda no hemisfério sul”.

Marcelo Rebelo de Sousa, que está a visitar as comunidades portuguesas na Califórnia, passou o fim de sábado em Artesia, na quase centenária associação portuguesa do Divino Espírito Santo desta cidade no condado de Los Angeles, numa festa dos santos populares com algumas centenas de pessoas.

Em Artesia, terminou a sua intervenção com uma criança no colo, Amelia, de 3 anos, a quem disse: “Adoras viver em Artesia, não é, e nos Estados Unidos? És um exemplo do nosso futuro aqui, em Artesia. Não sabes, não percebes ainda, mas irás perceber quando vires uma fotografia em que o Presidente da República está a dizer: tu és o futuro de Portugal em Artesia”.

Jimmy Enes, professor de educação física, filho de emigrantes açorianos, também discursou no início deste convívio como “membro ativo da comunidade” e aproveitou a ocasião para deixar uma queixa: “Passados quase 30 anos ainda estamos sem ensino do português nas nossas escolas”.

“Tentamos sempre ensinar aos nossos filhos a língua de Camões. Ao longe juntamo-nos desde uma tenra idade para apoiar a nossa seleção ou influenciar os nossos filhos para serem do melhor clube de futebol português – estou-me a referir ao meu Sporting, claramente”, prosseguiu.

No fim do seu discurso, Jimmy Enes apelou: “Excelentíssimo senhor Presidente e respeitosa comitiva, agora, mais que nunca, precisamos de Portugal, por favor nunca se esqueçam da luta que temos pela nossa frente, porque estes bravos heróis do mar de geração em geração não irão desistir. Artesia foi, é e sempre será portuguesa”.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, que interveio em seguida, comparou Artesia a “uma ilha de Portugal no continente americano” e afirmou que “o Governo português está muito empenhado na promoção da língua portuguesa” na Califórnia.

Paulo Cafôfo citou alguns números: “Neste ano letivo que agora vamos começar teremos 23 milhões de euros, teremos mais de 40 mil alunos a aprender português. Aqui temos 27 escolas, 1.600 alunos, a que se juntam os 750 das universidades”.

Dirigindo-se ao superintendente do distrito escolar unificado de Los Angeles, Alberto Carvalho, presente nesta festa, o secretário de Estado observou: “Superintendente, temos aqui um desafio importante, que é o da língua portuguesa”.

O cônsul-geral de Portugal em São Francisco, Pedro Pinto, considerou que o superintendente Alberto Carvalho “será uma peça fundamental na nova aposta do ensino português na Califórnia”.

A ‘mayor’ da cidade de Artesia, Melissa Ramoso, marcou presença nesta festa dos santos populares, com música, comida e bebidas. Marcelo Rebelo de Sousa agradeceu-lhe e felicitou-a por ser “a primeira filipino-americana a ser eleita aqui, mostrando a diversidade de Artesia”.

A seleção portuguesa de surf, que esteve a competir em Huntington Beach, no condado de Orange, na Califórnia, juntou-se a este convívio, e recebeu elogios do chefe de Estado pela sua prestação.

Por outro lado, o Presidente da República realçou a vitória da seleção portuguesa de futebol por 4-0 contra a República Checa na fase de grupos da Liga das Nações, e fez a antevisão do próximo jogo, provocando risos: “Há apenas um pequeno problema a resolver, chamado Espanha, mas estamos habituados a isso. Por isso, temos de derrotar a Espanha outra vez, será na próxima terça-feira”.

Marcelo Rebelo de Sousa desejou que os emigrantes em Artesia, “sendo americanos também”, nunca esqueçam “que são portugueses” e destacou que está acompanhado nesta visita por representantes do parlamento e do Governo: “É o Portugal político que está com Artesia, que está com esta comunidade, que está com os portugueses que vivem na Califórnia”.

TÓPICOS