De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Colunistas

Da memória

Seria mais fácil falar do que não aconteceu! Dos silêncios, das omissões. Da incapacidade inata de dar, de abraçar. Talvez porque nunca se recebeu. Como partilhar o que nunca se sentiu?

Complexa esta dinâmica do dar e receber.

Contudo, será sempre preferível falar do que foi, do que a memória traz de luz, de momentos escassos de partilha.

Lembro os poucos instantes de felicidade. Tão breves! Tão eternos! Como aquele em que nos levaste a ver o mar. Grandioso, imponente , ruidoso, o mar bravio da torreira.
Lembro- me de ver homens e mulheres, bois, redes, peixes a saltitar.
Era uma traineira que acabara de chegar.
Presenças gigantes no meu olhar de menina. Imagens imponentes a marcar o deslumbramento e o medo.

Na memória da menina um dos raros momentos de ternura e aconchego.
Um dos raros momentos de eternidade!

São Gonçalves

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.