De que está à procura ?

Colunistas

As ruínas do castelo Hayn

Se os emigrantes portugueses residentes na Alemanha desejarem gozar um fim de semana ou mesmo se precisarem de um sítio interessante para comemorações familiares ou de negócios, aconselho uma visita às ruínas do castelo Hayn.

As ruínas estão situadas na vila de Dreieich, a sul de Frankfurt am Main. Este monumento é ainda conhecido como Castelo Dreieichenhain. Os primeiros traços do castelo tiveram origem no século XI.

Mesmo à volta destas ruínas que despertam a curiosidade de qualquer pessoa, existe um lago que inspira sossego e romantismo. Pois, este frequentado por libélulas e patos selvagens que, por sua vez, cativam os olhares preocupados pelo meio-ambiente, também é especial. O lago é rodeado por um jardim verde com alguns bancos de madeira com vista para a fortificação. Alguns caminhos de terra castanha avermelhada dão vida à imaginação do visitante. Os arbustros e flores na primavera e no verão alegram o jardim, as ruínas e a vila.

Ainda dentro da vila, sem querer, deparamo-nos com um poço tipo cisterna num dos cantos da vila. Este sítio é muito procurado pelos fotógrafos e turistas. Igualmente, perto das ruínas encontram-se perdidas algumas mós pesadas feitas de pedra, acordando memórias do passado. Vale a pena observar as muralhas robustas, mas tornadas frágeis ao longo do tempo. Estas rodeiam algumas ruelas com as suas calçadas interessantes. Ao caminhar ao longo destas, vamos encontrar um restaurante com o menu da região e uma gelataria com os melhores segredos italianos. Assim como as pequenas lojas são muito lindas com as suas montras bem ornamentadas.

Ao olharmos pelas janelas enormes, vazias de vidros, pode-se imaginar o salão dos cavaleiros, os aposentos reais e os troncos de madeira que ardiam na grande lareira e que  aqueciam algumas divisões do castelo. Porém, não se pode esquecer de observar o portão de entrada da vila recuperado no setor norte que dá um aspeto chique ao local. O pátio do antigo castelo é fascinante. Ali mesmo é habitual a realização de peças de teatro num palco improvisado e feito de madeira. No mês de agosto,  visitantes e residentes terão a oportunidade de ouvir e ver a criatividade de atores profissionais e amadores. Os quais esperam ouvir também os maiores aplausos de todos os tempos.

Em 1865, uma associação foi criada para salvaguardar os objetos históricos encontrados no local. E vinte anos depois, surgiu o pequeno museu que hoje ainda existe. Este, naturalmente, com as suas modificações, as quais dão vida às memórias da região.

Teresa Cavaco Howe

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

TÓPICOS