De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Europa

Pedrógão Grande: Luxemburgo “pronto a ajudar os seus amigos portugueses”

O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, exprimiu este domingo a sua solidariedade com as vítimas dos incêndios em Pedrógão Grande, afirmando que o Luxemburgo está pronto a apoiar “os seus amigos portugueses”.

“Os meus pensamentos estão com as vítimas dos incêndios e as famílias em Portugal. O meu apoio aos que combatem as chamas. O Luxemburgo pronto a ajudar os seus amigos portugueses”, disse o primeiro-ministro luxemburguês, numa mensagem enviada através da sua conta no twitter.

Fonte do gabinete de Xavier Bettel disse à Lusa que o primeiro-ministro luxemburguês também enviou uma mensagem a António Costa, oferecendo a ajuda do Luxemburgo no combate aos fogos.

O ministro da Justiça do Luxemburgo, Félix Braz, filho de emigrantes portugueses no Grão-Ducado, também exprimiu a sua solidariedade para com as vítimas dos fogos em Portugal.

“Os meus pensamentos estão com as famílias e com os amigos do terrível número de vítimas em Pedrógão Grande, Portugal”, disse o ministro lusodescendente numa mensagem enviada pelo Twitter.

Por seu turno, a eurodeputada luxemburguesa Viviane Reding publicou uma mensagem em português na sua página do Facebook, solidarizando-se com “as famílias das vítimas afetados por este terrível incêndio em Portugal” e acrescentando que o mecanismo europeu de proteção civil já foi ativado.

O comissário europeu para a Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, anunciou hoje que a União Europeia (UE) está pronta a ajudar Portugal, tendo já sido enviados aviões de combate a incêndios pelo Mecanismo de Proteção Civil europeu.

O responsável referiu que “a França ofereceu imediatamente três aviões através do Mecanismo de Proteção Civil da UE, que serão enviados para ajudar no local”. Também a Espanha, “numa base bilateral, enviou equipamento aéreo”.

O fogo, que causou pelo menos 61 mortos e 54 feridos, deflagrou numa área florestal em Escalos Fundeiros, em Pedrógão Grande, e alastrou-se aos municípios vizinhos de Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, obrigando a evacuar zonas povoadas.