De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Colunistas

Tardes de Agosto

Tardes de Agosto solarengas abafadas
Emigrantes, fados, guitarradas e vinho
Vírus, poucas festas, pessoas amadas
São recebidas em casa com muito carinho.

No largo da aldeia ostentam-se carripanas
Boa máquina essa que compraste
Vamos ali à tasca comer umas bifanas
Agosto logo passará e até p’ró ano!

O Sol brilha e o momento tem perfil
O poeta nasce e renasce para a língua
Empresta a seiva do talento febril
E catalisa ideias para não morrer à míngua.

E jorram sílabas e os corpos são fornos
Crepitando beijos, expelindo ternura
Viva numa terra lusíada pujante
Onde a poema atinge o orgasmo da aventura.

E onde deixo partir pedaços de mim
Pedaços de ti, e de quem ele procura
Amor sincero duma donzela macia
Com olhos faiscantes e boca de alegria.

O momento é de síntese brilho e perfil
E cada rima há-de ter mistério e saudade
E o momento maduro é no mês de Abril
Quando cheira a primavera em cada tarde.

O leitor se assenta para ler o poder vivo
Dum conteúdo brilhante e individual
Que é um texto, esquadrinhador e activo
Com raízes que vão até ao espaço sideral.

José Valgode

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.