De que está à procura ?

Colunistas

Rede Sem Fronteiras juntou 90 escritores da lusofonia

Entre 25 de agosto e 11 de setembro, passaram pelo Parque Eduardo VII, em Lisboa,  cerca de 772 mil visitantes, na maior edição da Feira do Livro de Lisboa de todos os tempos. Foram 961 chancelas editoriais presentes, distribuídas em 340 pavilhões em  formato modular e construídos com materiais sustentáveis.  

A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) informou ter havido um aumento considerável do número de jovens dos 18 aos 24 anos, totalizando já 37% dos visitantes. Foram também muitos os que visitaram a Feira do Livro de Lisboa pela primeira vez: 22%. São novos visitantes que nunca tinham ido ao evento, e 45% dos inquiridos não esteve na edição anterior. Também o digital desempenhou um papel muito relevante na distribuição de conteúdo e cobertura do evento, com 2,7 milhões de page views no site da Feira do Livro.

Este ano a Rede Sem Fronteiras (RSF) se superou e apresentou uma comitiva de 95 autores solo brasileiros e lusófonos (20 a mais que o ano passado) estando situada na Zona Laranja – Nascente 3 – Pavilhão D92.

Na edição deste ano a RSF  decidiu homenagear os autores lusófonos, como autores Convidados de Honra: Marta Santos, de Angola, que não pôde estar presente, mas que foi representada por suas obras e ministrou palestra sobre sua cultura na programação virtual; Carlos Cardoso, de São Tomé e Príncipe, que, além de ministrar palestra, fez uma belíssima performance ao lado do músico Tonecas Prazeres, com repertório de músicas e poesias são-tomenses; e Lagartixa Okonhoko Npasmadu (André Mendes), de Guiné-Bissau, que, além de ministrar palestra sobre sua cultura, reuniu o maior público da programação de auditório com a apresentação de música, ritmos e danças guienenses, com grupo performático. A RSF ainda recebeu, como convidado especial, James McSill, um dos consultores de história mais bem-sucedidos do mundo, reconhecido e elogiado pelo seu vasto trabalho na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Na ocasião, McSill ministrou duas conferências e autografou seus livros no pavilhão D-92.

Este ano, ao visitar o pavilhão da Rede Sem Fronteiras, o Presidente da República Portuguesa, Sr. Marcelo Rebelo de Sousa, que já conhece a entidade e a sua proposta de fomentar, divulgar e promover as produções literárias de escritores lusófonos, elogiou o fato de a cada ano ter um grupo maior na comitiva de autores, mostrando-se impressionado. Em sua companhia, visitando o pavilhão, estava o Presidente da Câmara de Lisboa, Sr. Carlos Moeda, que reconheceu a Rede Sem Fronteiras como uma entidade de realização de intercâmbios entre Brasil e Portugal. Ambos receberam de presente das mãos da Presidente da entidade, Sra. Dyandreia Valverde Portugal, o volume 7 da Coletânea Literária Lusófona Internacional Sem Fronteiras pelo Mundo… e o Catálogo Vitrine Literária Lusófona, com a maioria dos autores participantes. Ao final de toda essa bem-sucedida jornada cultural em terras lusitanas, a RSF encerra mais um capítulo de sua trajetória firmando mais alguns momentos históricos. Na certeza de seu lema: “Juntos, somos mais fortes!”, destacou publicamente, ao longo de vários momentos, a importância da Equipe Dourada e de seus colaboradores, que contribuíram significativamente para a realização de todos esses eventos.

Quem desejar visualizar as   entrevistas, fotos e vídeos dos principais momentos, poderão assistir às gravações pelo canal no YouTube, procurando pelo nome da entidade. Todos os links estão disponíveis pelo blog oficial do evento: www.redesemfronteiras.com.br.

Augusto Lopes

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

TÓPICOS