De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Portugal

Portugal reduz número de praias concessionadas

Portugal continental tem este ano menos 94 praias marítimas concessionadas do que teve em 2018, segundo uma portaria relativa à época balnear publicada em Diário da República.

O diploma identifica as praias marítimas, fluviais e de uso limitado, refere a duração da respetiva época balnear e qualifica as praias de banhos para este ano no Continente e nas Regiões Autónomas.

De acordo com a portaria, mais de 500 praias marítimas e fluviais estão disponíveis este verão em Portugal.

Para 2019, a concessão foi atribuída a 443 praias marítimas, menos 94 em relação ao ano passado, que contou com 537.

Na generalidade, a concessão das 443 praias marítimas acontece de junho a setembro, com a exceção de algumas praias, como do concelho de Cascais, em Lisboa, que já estão a funcionar desde 01 de maio.

Das praias marítimas contabilizadas, até à data da publicação da portaria, há 28 na Madeira, 24 nos Açores, cinco no Norte, uma no Centro, cinco no Tejo e Oeste e quatro no Algarve que não estão qualificadas como praias de banhos por não estar assegurada a vigilância a banhistas.

Na região Norte, a época balnear decorre entre 15 de junho e 15 de setembro em 119 praias marítimas.

No distrito de Viana do Castelo há três praias que têm um período de concessão diferente: A praia do Cabedelo funciona de 01 maio a 15 de outubro, a de Carreço de 01 de junho a 15 de setembro) e a de Arda/Bico entre 01 de junho e 30 de setembro.

Na região Centro, as primeiras abrir são as praias do concelho da Figueira da Foz, de 14 de junho a 15 de setembro, excetuando quatro, que estarão ativas entre 29 de junho e 01 de setembro.

O Centro tem 44 praias marítimas com datas de abertura entre 14 de junho e 01 de julho e encerramento de entre 31 de agosto e 15 de setembro.

Com 104 praias marítimas, a região Tejo Oeste já abriu a época balnear a partir de Cascais, em 01 de maio, sendo também a última a fechar, em 15 de outubro.

A maioria das praias desta zona abre em meados de junho e fecha no decorrer de setembro, com a exceção da praia do Salgado, na Nazaré, que só abre em 01 de julho.

As praias da Bafureira, em Cascais, as de Peralta e Valmitão, na Lourinhã, a de Coxos, em Mafra, as de Praia d’El Rei e Rei do Cortiço, em Óbidos, a de S. Bernardino, em Peniche, as de Adraga, Magoito, S. Julião, em Sintra, e a da Formosa, em Torres Vedras, têm uso limitado.

O Alentejo abre a época balnear através das praias da Califórnia e do Ouro, em Sesimbra, de 01 de junho a 15 de setembro.

A região alentejana conta com 37 praias marítimas, sendo que a de Alteirinhos, em Odemira, é única de acesso limitado.

Com 113 praias marítimas, a região do Agrave inicia a época balnear a partir de Albufeira, que terá concessão de 15 de maio a 15 de outubro.

Nesta região, têm uso limitado as praias da Coelha (Albufeira), da Arrifana (Aljezur), de Benagil, Caneiros, Carvalho, Tremoços, Marinha e Vale Centeanes (Lagoa), do Camilo (Lagos) e do Tonel (Vila do Bispo).

Nas Regiões Autónomas, os Açores contam com 70 praias marítimas, com grande parte a funcionar de 15 de junho a 15 de setembro

Por seu lado, na Madeira, a generalidade das 52 praias marítimas funciona entre o princípio de junho e o final de setembro, mas têm uso limitado as praias de Ribeira do Natal (Machico), Gorgulho (Funchal), Madalena do Mar (Ponta do Sol) e Porto Santo – Calheta (Porto Santo).

Quanto às praias interiores, a portaria indica 104 disponíveis em todo país, 35 das quais no Norte, 48 no Centro, 44 no Tejo e Oeste, cinco no Alentejo e uma no Algarve.

Tal como as praias marítimas, as praias do interior também têm um decréscimo nas concessões, em relação a 2018, com uma queda de 24.

As praias fluviais começam a época balnear entre 15 de junho e 01 de julho e encerram entre 31 de agosto e 30 de setembro.