De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Comunidades

Polícia londrina pediu desculpa a casal luso-britânico

A Polícia Metropolitana de Londres (PML) pediu desculpa a Bianca Williams, a atleta olímpica britânica e companheira do também atleta português Ricardo dos Santos, pela forma como o casal foi detido e algemado no sábado à tarde, durante uma alegada operação de busca.

Perante a comissão dos assuntos internos do Parlamento britânico, Cressida Dick revelou que na terça-feira “dois agentes” da PML “falaram com a senhora Wiliams”. “Pedimos ontem desculpa à senhora Williams e eu reitero o pedido de desculpa pela aflição que esta detenção claramente lhe provocou”, disse a comissária.

Em nenhum momento, Cassida Dick referiu ser o pedido de desculpa extensível ao português Ricardo dos Santos, atual recordista nacional dos 400 metros.

O casal de atletas foi detido no sábado à tarde, numa operação policial que registaram em vídeo com o telemóvel de Bianca Williams, quando regressavam a casa, com o filho de ambos de três meses de idade no banco de trás.

Parte da interpelação policial foi revelada num curto vídeo filmado com o telemóvel por Bianca e partilhado nas redes sociais por Ricardo, revelando a agressividade com que a polícia se acercou.

O português foi retirado intempestivamente retirado do veículo e, tal como a mulher, algemado.

A polícia disse suspeitar haver armas dentro do carro e alegou que o português apresentava um odor a marijuana.

“Acho que todos nós, vendo o vídeo, podemos sentir empatia com alguém que é parado num veículo, com uma criança atrás, que não sabe exatamente o que se passa e, consequentemente, é ilibado juntamente com o companheiro de transportar qualquer coisa ilícita”, reconheceu Cassida Dick.

A comissária defendeu a polícia metropolitana das acusações de racismo acentuadas com este caso, envolvendo um casal de pele negra.

A comissária disse terem sido revistas as evidências do caso, incluindo vídeos registados pelas câmaras nos veículos da polícia, por duas equipas distintas e foi concluído não ter havido comportamento incorreto dos agentes da polícia.

“Se há lições a reter, vamos aprende-las e estou a olhar para a questão do uso de algemas em particular”, reconheceu a comissária.

Dada a natureza do caso, as acusações de racismo por parte do casal e o interesse público, o caso foi ainda remetido para o regulador das autoridades, o Gabinete independente da Conduta Policial.

A polícia alegou que o veículo foi visto a circular de forma suspeita, incluindo em sentido contrário, o que o casal desmentiu referindo o vídeo que Bianca Williams registou durante a perseguição até pararem de forma voluntária.

A atleta britânica denunciou detenções como a sábado já terem ocorrido umas 15 vezes com o companheiro, em especial desde Ricardo dos Santos adquiriu um novo veículo de marca Mercedes.

“A polícia pensa que ele está a conduzir um carro roubado ou que esteve a fumar canábis. É comportamento racista. A maneira como eles falaram com o Ricardo, como se ele fosse lixo, foi chocante. Foi horrível assistir”, descreveu Bianca Williams.

Em entrevista ao The Times, a atleta britânica disse que a revista da polícia ao carro demorou 45 minutos. Nada foi encontrado e a polícia alegou ter-se tratado de uma operação no âmbito do aumento das patrulhas naquela zona de Londres devido ao aumento da violência armada.

Em declarações à BTV, o canal de televisão do Benfica, clube português que o atleta representa, Ricardo dos Santos contou que o casal estava “a caminho de casa” depois dos treinos. “Estávamos a cinco minutos de casa e começaram a seguir-nos. Como sabia que não tinha feito nada, disse à minha namorada que não ia parar porque estávamos a chegar a casa. Quando chegámos, a polícia saiu do carro e mandou-nos sair da nossa viatura. Agarraram-me e colocaram-me fora do carro. Depois agarraram a minha mulher, que estava no banco traseiro com o nosso filho. Isto acontece várias vezes comigo, mas foi a primeira vez que a Bianca viu ao vivo. Ela, como mulher, teve medo porque não sabia o que poderia acontecer comigo e o que haveria de fazer”.

O treinador dos dois atletas, o antigo campeão de atletismo britânico Linford Christie, também questionou a conduta das autoridades londrinas. “Foi o carro que era suspeito ou foi a família negra a bordo que motivou um confronto tão violento e uma acusação de que o carro cheirava a erva embora recusassem realizar um teste rápido de consumo de droga? Não foi a primeira vez que aconteceu. Estou certo que não será a última”, sublinhou Christie, pelo Twitter, logo no sábado.

No dia seguinte ao sucedido, o próprio Ricardo dos Santos recorreu ao Instagram com uma foto da operação policial em que foi algemado, para dizer: “Isto tem de acabar. Está a perder o controlo.”