De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Mundo

Mobilidade no seio da CPLP pode melhorar

O novo secretário executivo da CPLP disse confiar que até 2020 haverá avanços “efetivos e visíveis” na mobilidade e considerou que, internamente, a organização deve aproveitar a sua rede de pessoas e instituições como “fonte de propostas e iniciativas”.

“Confio que até 2020 haverá avanços efetivos e visíveis na mobilidade”, uma das prioridades do seu mandato e que tem como objetivo aproximar a CPLP dos seus cidadãos.

Francisco Ribeiro Telles falava sábado, na sede da CPLP, em Lisboa, após ter tomado posse como secretário executivo da organização, e a seguir ao discurso do presidente de Cabo Verde, e também Presidente da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que reforçou igualmente a necessidade do avanço, quanto antes, do processo de facilitação de circulação de pessoas no espaço lusófono.

“Internamente, devemos incentivar e potenciar o diálogo e o trabalho conjunto dos nossos parlamentos, das nossas sociedades civis, dos nossos empresários e das nossas instituições académicas e das nossas autarquias”, defendeu ainda Ribeiro Telles no discurso de tomada de posse.

Lembrando que a CPLP, além de uma rede de Estados, é uma rede de pessoas e de instituições, que atuam nos mais diversos setores, o novo secretário executivo defendeu que a organização e os seus estados membros devem aproveitar essa rede “como fonte de propostas e iniciativas”.

“Os observadores associados terão neste âmbito a possibilidade de assumir uma relevância ainda maior”, indicou.

O diplomata português Francisco Ribeiro Telles tomou hoje posse, em Lisboa, como novo secretário-executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Na cerimónia estiveram presentes os Presidentes de Portugal, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, Marcelo Rebelo de Sousa, Jorge Carlos Fonseca e Evaristo Carvalho respetivamente.

A cerimónia, que decorreu esta manhã na sede da CPLP, onde foi assinado o termo de posse, contou com as intervenções do Presidente de Cabo Verde, país que detém atualmente a presidência da organização lusófona e do novo secretário executivo da CPLP.

O embaixador português Francisco Ribeiro Telles foi eleito para o cargo de secretário-executivo pela XII conferência de chefes de Estado e de Governo da CPLP, em julho de 2018, em Santa Maria, ilha do Sal, Cabo Verde, e sucede à são-tomense Maria do Carmo Silveira.

Esta é a primeira vez, em 22 anos de história da CPLP, que Portugal assume o secretariado-executivo, o principal órgão executivo da organização lusófona.

A cerimónia de hoje contou ainda com as presenças do ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, do ministro das Relações Exteriores de Angola, Manuel Augusto, e do ministro dos Negócios Estrangeiro Cooperação e Comunidades de Cabo Verde, Luis Filipe Tavares.

A embaixadora timorense Maria Paixão representou o ministro dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste.

Portugal esteve também representado pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Teresa Ribeiro.

As competências do secretário-executivo são: implementar as decisões das cimeiras, do Conselho de Ministros dos Negócios Estrangeiros e do Comité de Concertação Permanente; planear e assegurar a execução dos programas; organizar e participar nas reuniões dos vários órgãos da comunidade, e acompanhar a execução das decisões das reuniões ministeriais e demais iniciativas no âmbito da CPLP.

Ribeiro Telles inicia funções em 01 de janeiro, para o biénio 2018/2019, dia em que assistirá à cerimónia de posse do próximo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

A CPLP é composta por nove estados membros: Portugal, Angola, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Guiné Equatorial.