De que está à procura ?

Portugal

Médico português distinguido na área de neurorradiologia

© DR

O médico especialista do Serviço de Neurorradiologia do Hospital de Braga, Miguel Quintas Neves, ganhou o prémio de melhor trabalho científico europeu do ano nesta área. O bracarense é o primeiro português a ser distinguido com o galardão, “prova, uma vez mais, do incomensurável valor que os investigadores portugueses têm”, refere.

Miguel Quintas Neves foi o médico galardoado com o prémio criado pela Sociedade Europeia de Neurorradiologia (ESNR), que distingue jovens cientistas com menos de 40 anos que tenham 1.ª autoria num trabalho científico de relevo na área de neurorradiologia, desenvolvido em centro europeu.

Esta foi a primeira vez que um português foi distinguido pela ESNR, reconhecimento atribuído no 46.º Congresso Anual da Sociedade Europeia de Neurorradiologia, no dia 21 de setembro, em Viena, na Áustria, e divulgado na passada quarta-feira pela instituição hospitalar. 

Na génese da distinção está o trabalho intitulado “Divergent magnetic resonance imaging atrophy patterns in Alzheimer’s disease and primary age-related tauopathy”, que Miguel Quintas Neves desenvolveu o no âmbito da sua tese. 

“O estudo teve como principal objetivo o de encontrar ferramentas diagnósticas, particularmente clínicas e imagiológicas, que permitam a distinção entre a doença de Alzheimer e uma outra condição neuropatológica a que se dá o nome de tauopatia primária relacionada com a idade”, refere Miguel Quintas Neves, em comunicado do Hospital de Braga.

No estudo, que contou com a orientação do professor Tiago Gil Oliveira, também médico especialista do Serviço de Neurorradiologia do Hospital de Braga e professor associado da Escola de Medicina da Universidade do Minho, “foram dados alguns passos nesse sentido, quer pelos diferentes padrões de atrofia cerebral encontrados, quer pela diferente relação que estes estabelecem com a performance cognitiva nos dois grupos de doentes”, explica o médico distinguido.

Miguel Quintas Neves refere ter sido “um orgulho tremendo e uma grande honra” receber esta distinção, e que a mesma vem “premiar o esforço e trabalho desenvolvidos por toda a equipa do projeto, sendo prova, uma vez mais, do incomensurável valor que os investigadores portugueses têm, mesmo perante investimentos consideravelmente inferiores aos seus congêneres europeus”.

O congresso da ESNR todos os anos reúne neurorradiologistas, neurocirurgiões e neurologistas com o objetivo de abrir discussão à atualidade da área e incentivar a colaboração intelectual e criatividade na busca por soluções que contribuam para um avanço científico positivo pela partilha de conhecimento nas neurociências. Este ano o evento decorreu entre os dias 20 e 24 de setembro, sob o tema “Mudar para Melhor: recarregando o momento vienense”.

DR

TÓPICOS

Siga-nos e receba as notícias do BOM DIA