De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Portugal

Madeira começa a vacinar adolescentes no fim de semana

A Madeira vai começar a vacinar os jovens a partir dos 12 anos no próximo sábado com a administração das vacinas recomendadas pela Agência Europeia do Medicamento, anunciou esta terça-feira o secretário da Saúde desta Região Autónoma.

“Vamos ter um ‘open day’ no próximo sábado. Queremos vacinar mais rapidamente possível entre os 12 e os 17 anos, usando as vacinas que são recomendadas pela Agência Europeia do Medicamento, que são a Johnson e a Pfizer”, declarou Pedro Ramos no decorrer da visita que efetuou hoje ao Centro de Vacinação do Funchal.

O governante explicou que a vacina da Johnson será administrada “a partir dos 18 anos para os indivíduos do sexo masculino”, enquanto com a Pfizer serão inoculados os “jovens entre os 12 e 17 anos”.

“Não será preciso fazer agendamento”, devendo as pessoas deslocar-se ao Centro de Vacinação do Funchal, localizado no Madeira Tecnopolo, salientou o responsável da Saúde madeirense.

Pedro Ramos argumentou que, embora a “vacinação seja facultativa, portando não obrigatória”, constitui “um ato de cidadania quando temos problemas de saúde pública e queremos controlar no que diz respeito a esta pandemia que tem afetado a todos”.

“Estamos a vacinar as crianças e todos os escalões etários estão a ser protegidos”, sublinhou o governante do executivo insular.

Pedro Ramos mencionou que as autoridades de saúde estão a promover os “open day” para vacinar as pessoas “o mais rápido possível”, tendo decorrido hoje a segunda ação no Funchal.

Na quarta-feira vai haver um “open day” no município de Câmara de Lobos e, na quinta-feira, em Santa Cruz, “porque estes dois concelhos têm um índice de envelhecimento mais baixo” e têm taxas de vacinação inferior a 60% na administração da primeira dose e 50% da vacinação completa, referiu.

“Queremos nivelar todos os concelhos da região e daí este ‘open day’ para a AstraZeneca, das quais ainda temos vacinas disponíveis e também não queremos perder nenhuma”, vincou.

Pedro Ramos complementou que o objetivo é sensibilizar para “a população aderir em massa a esta campanha de vacinação para estarem mais rapidamente todos protegidos”.