De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Colunistas

Fome de justiça

Fome de justiça agora e sempre

Continua em muitos continentes

Milhões vão dormir de estômago vazio

Outros com malas de dinheiro estão contentes.

 

Fome em toda a parte e em todas as gentes:

Clama o órfão o velhinho com fome de justiça

Que os humanos construíram postiça

E que explora os vivos e o numerário.

 

Crianças deambulam desnutridas

São  licitações de governos humanos com salário.

Há fome de justiça, tememos por suas vidas

Enquanto tantos outros aumentam seu Erário .

 

Há fome de todo o tipo. De mandatos,

Fome de cães e gatos e executivos

A fome de justiça desengana os incautos,

Priva os justos, os vulneráveis e os explora vivos,

 

A fome de justiça persiste. Quem a pode saciar?

A ciência, as superpotências ou a história?!

 

A ciência tantas vezes mostrou-se fraude

E a história, nos milénios tornou-se inglória!

Fome da verdade, poucas pessoas a sentem!

Os humanos sentem fome de poder que os explora

Embrutece, que perdura, aumenta e os devora.

 

E você sente fome de saber a verdade

Por que permite o Criador tanto sofrimento?

Por que envelhecemos e morremos?

Por acaso sente você fome deste e outras verdades?!

Já encontrou uma resposta satisfatória?!

 

José Valgode

 

 

 

 

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.