De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Colunistas

Êxito na procura de um novo projeto profissional

Se de repente se começar a aperceber que as suas chefias o deixam de convocar para reuniões em que habitualmente participava, que lhe estão a subtrair responsabilidades que passaram a ser assumidas por um colega ou mesmo pelo seu chefe direto, ou que não antevê perspetivas de evolução na sua atual empresa ou área de atividade – estes são “sintomas” que o deverão alertar a iniciar a procura proactiva de um novo desafio profissional em Portugal e/ou nos principais centros de decisão das multinacionais no estrangeiro (Dublin e Cork, cidade do Luxemburgo, Londres, Madrid e Barcelona, Dubai e Abu Dhabi, Miami, Joanesburgo, …).

Na procura de alternativas profissionais há etapas que deve cumprir. Comece por pensar muito bem a que tipo de posições se deve candidatar, em que sectores/ áreas funcionais/ cidades/ países, tendo em conta as suas mais-valias competitivas e as oportunidades para profissionais com o seu background nesses mercados. Depois procure conceber um CV claro e apelativo para os entrevistadores e decisores que deverão decidir a sua contratação. O próximo passo será começar a apresentar-se aos decisores-alvo (colocação do CV num vasto nº de sites de emprego, envio do mesmo por Email a consultores de empresas de recrutamento, consultores de gestão e a administradores e diretores funcionais de empresas, e posteriormente tentar “interagir” com o maior nº possível desses diferentes interlocutores). Só começa a “marcar pontos” quando for convocado para entrevistas (telefone, skype e presenciais), em especial entrevistas com os decisores-finais das posições que ambiciona exercer.

Por regra, um profissional desempregado deve investir >5 horas/ dia, 4 dias/ semana, em ações de procura proactiva de um novo desafio (devendo investir 1/4 desse nº de horas se estiver empregado). Definir uma rotina e manter-se fiel à mesma é determinante para alcançar o que pretende. É também importante estabelecer objetivos mensuráveis, identificáveis e específicos. Três meses sem conseguir arranjar emprego não significa tempo perdido. Poderá ter alcançado outros objetivos, como por exemplo ter alargado expressivamente a sua rede de contatos com decisores das empresas alvo e aumentado a sua expertise em áreas de grande empregabilidade (Marketing Digital, Business Development, fluência em Inglês, …).

1º grande objetivo: Entrevistas com “decisores-finais”.

Quando começar a ser convocado para as entrevistas, prepare-se. Pense com calma o que deverá responder às diversas perguntas, esteja atento a gestos involuntários que faz, seja breve e claro nas respostas que dá, coloque questões inteligentes e construtivas. Mais importante que tudo é acreditar em si mesmo e conseguir demonstrar nos 30 a 60 minutos das entrevistas a sua mais-valia para o novo empregador (achievements passados que poderão ser replicáveis na nova empresa, know-how do negócio e mercado em causa, …, como poderá ter êxito no curto-prazo no novo posto). Não espere que as oportunidades lhe caiam ou se materializem por si mesmas. É preciso ser otimista, ter iniciativa e fazer as coisas acontecer.

FOCUS no objectivo.

Quando se pretende mudar, munir-se de um vasto nº de contactos diretos de consultores de empresas de recrutamento, consultores de gestão, administradores e diretores funcionais de empresas finais é um fator decisivo. Sabia que a clara maioria das ofertas de emprego surgem de contactos pessoais e de candidaturas espontâneas bem direcionadas e enviadas no timing certo? A rede de contactos é uma das grandes mais-valias que a GEORGE lhe pode oferecer, dado que os seus consultores estão em contacto diário com um vasto nº de decisores empresariais de relevo e se deslocam frequentemente a um elevado nº de eventos nacionais e internacionais (feiras setoriais, conferencias, almoços/jantares de negócios, receções de embaixadas, encontros de empresários, …), a fim de identificar as melhores VAGAS para os profissionais a quem prestam assessoria.

O Assessor/ Manager ideal.

No complexo e crescentemente competitivo mercado de trabalho dos dias de hoje, no qual um elevado nº de profissionais não se sente minimamente realizado nas suas funções e/ou nelas não veem quaisquer perspetivas de evolução, e em que >50% dos desempregados estão-no há >1 ano, pode parecer uma tarefa dificílima encontrar um novo desafio onde nos possamos sentir realizados, mas com a assessoria da GEORGE, cujos consultores detêm uma vasta experiencia no apoio de Executivos com os mais diversos backgrounds, encontrará as técnicas e ideias de que precisa para ser bem-sucedido, conseguindo dessa forma otimizar e agilizar os timings de pesquisa do projeto profissional que ambiciona.

Alguns dados do mercado de emprego em Portugal (em 22/08/2017):

  • 4.9 Milhões de cidadãos empregados;

  • Taxa de Desemprego nacional: 6.6 %;

  • Taxa de Desemprego Jovem: 19.4% (jovens até aos 25 anos);

  • 340.400 Desempregados em procura ativa de emprego (50% dos quais há >1 ano);

  • Tempo médio de procura de emprego: cerca de 20 meses (14 meses no ano 2003);

  • 50% da população ativa tem o 9º ano de escolaridade (um dos mais baixos níveis da UE);

  • Salário médio mensal dos assalariados: 1.000 € Brutos/ mês (cerca de 50% do auferido pela média dos países da UE);

  • Salário mínimo: 600€ /mês (auferido por 23% dos assalariados);

SOBRE O AUTOR DESTA COLUNA

Jorge M. Fonseca, 49 anos, Licenciado em Economia e Master em Gestão Comercial e de Marketing, com cerca de 17 anos de experiência como consultor de empresas de recrutamento e seleção de renome, que nos últimos 9 anos exerce maioritariamente funções de assessoria de Executivos na mudança de emprego (Career Change Consultant), tendo fundado a GEORGE Recruiters and Career Change Consultants em Abril de 2015 em parceria com o grupo RUMOS – um líder nas áreas da Formação e Educação.

Jorge M. Fonseca, Partner

GEORGE Career Change Consultants

Mobile & WhatsApp: (+351) 961 355 424

Email:  jorge.fonseca@george.pt

www.george.pt