De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Comunidades

Carlos Gonçalves não é cabeça de lista do PSD pela Europa

© Ricardo Silva / BOM DIA

O PSD anunciou esta terça-feira os seus cabeças de lista pelos 22 círculos eleitorais às legislativas, dos quais 11 são novos em relação a 2019, o que representa uma renovação de 50%. Maria Ester Vargas é anunciada para o círculo da Europa, lugar atualmente ocupado por Carlos Gonçalves, e Maló de Abreu para o círculo Fora da Europa, onde se encontra José Cesário.

Dos 22 nomes apresentados como número um por cada círculo, 14 já eram deputados na anterior legislatura e apenas seis são mulheres (27% do total), menos uma do que as cabeças de lista de 2019.

Entre as onze novidades, destaque para Sofia Matos, ex-candidata à líder da JSD, pelo Porto, e Ricardo Baptista Leite, por Lisboa.

Ambos já eram deputados e substituem, respetivamente Hugo Carvalho – o único nome que se mantém como cabeça de lista, mas troca de círculo – e Filipa Roseta, que renunciou ao mandato no final da legislatura, para assumir a vereação na Câmara de Lisboa.

Dos restantes estreantes como número 1, contam-se o deputado Artur Soveral de Andrade, que tinha sido o número três por Vila Real, e agora substitui no topo da lista por esse círculo Luís Leite Ramos, que foi vice-presidente na bancada nas últimas legislaturas.

António Topa Gomes, sobrinho do deputado António Topa, que faleceu no final da atual legislatura, substitui a deputada e investigadora Ana Miguel dos Santos como cabeça de lista por Aveiro, enquanto na Guarda o até agora vice da bancada Carlos Peixoto dá lugar a Gustavo Duarte.

Em Viseu, regista-se a única troca de cabeça de lista entre círculos: Hugo Carvalho passa do Porto para Viseu, onde substitui o recém-eleito presidente da Câmara Fernando Ruas.

Já em Leiria, que tinha tido como cabeça de lista a ex-líder da JSD Margarida Balseiro Lopes – que já se tinha excluído das listas e foi uma destacada apoiante de Rangel – a novidade é o dirigente e ex-juiz do Tribunal Constitucional Paulo Mota Pinto, que nem sequer tinha integrado as listas em 2019.

Fecham as novidades: Luís Gomes em Faro (com a saída de outro apoiante de Rangel do topo da lista, o líder da distrital Cristóvão Norte), João Pedro Luís em Portalegre, Sérgio Marques na Madeira, Maria Ester Vargas pela Europa, e Maló de Abreu pelo círculo Fora da Europa, afastando de número 1 o antigo secretário de Estado das Comunidades José Cesário.

Maria Ester Vargas, natural de São Pedro do Sul, encontra-se atualmente eleita para o círculo de Viseu.

Repetem-se dez cabeças de lista (o mesmo nome, pelo mesmo círculo): Jorge Mendes, por Viana do Castelo, André Coelho Lima, por Braga, Adão Silva, por Bragança, Cláudia André, por Castelo Branco, Mónica Quintela, por Coimbra, Isaura Morais, por Santarém, Nuno Carvalho, por Setúbal, Sónia Ramos, por Évora, Henrique Silvestre, por Beja, e Paulo Moniz, pelos Açores.

Dos 22 cabeças de lista, 14 já são deputados: oito dos dez repetentes cabeças de lista (à exceção de Sónia Ramos e Henrique Silvestre, que não foram eleitos apesar de serem os primeiros indicados pelo PSD), a que se somam os novos número um Artur Soveral de Andrade, Sofia Matos, Ricardo Baptista Leite, Sérgio Marques e Maló de Abreu e Hugo Carvalho.

O presidente do PSD escolheu seis mulheres como cabeças de lista, menos uma do que em 2019, o que representa cerca de 27% do total, abaixo do mínimo de 40% que terá de ser respeitado na globalidade das listas para cumprir os novos critérios da Lei da Paridade.

Entre os 22 cabeças de lista, estão cinco dirigentes do PSD: dois vice-presidentes, André Coelho Lima e Isaura Morais, o líder parlamentar Adão Silva, o presidente do Conselho Nacional Paulo Mota Pinto, e o vogal da Comissão Política Maló de Abreu.

De acordo com os critérios aprovados pela Comissão Política Nacional, “é da responsabilidade do presidente do partido eleito a indicação dos cabeças de lista em cada círculo eleitoral”.

As listas completas de candidatos a deputados do PSD serão hoje formalmente propostas pela Comissão Política Nacional, que reúne a partir das 15:00, e terão depois de ser aprovadas pelo Conselho Nacional, com reunião marcada para as 21h00, em Évora.