De que está à procura ?

Europa

Candidatura de Leão ao Mecanismo Europeu de Estabilidade retirada

© DR

O Governo português anunciou esta terça-feira ter retirado a candidatura do ex-ministro das Finanças João Leão ao cargo de diretor executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), num acordo com o Luxemburgo, que também abdicou do seu candidato.

“O Ministério das Finanças informa que as candidaturas dos ex-ministros das Finanças português e luxemburguês, João Leão e Pierre Gramegna, ao cargo de diretor-geral do MEE foram retiradas de comum acordo no interesse da instituição sediada no Luxemburgo”, informa a tutela em comunicado, explicando que o consenso visa “evitar um impasse e não prejudicar a sucessão de Klaus Regling”, que está no cargo há dez anos e deveria terminar o seu segundo mandato à frente da instituição no início de outubro.

O Ministério das Finanças explicou que “o Governo português não apresentará outra candidatura e participará ativa e construtivamente na escolha” do futuro diretor executivo do MEE.

No comunicado, a tutela admite que, “na sequência de consultas informais que tiveram lugar nos últimos meses entre os ministros das Finanças da área do euro, verificou-se que, ainda que cada um dos candidatos tenha reunido um grande número de votos, nenhum dos dois conseguiu obter a maioria qualificada de 80% dos votos necessários para ser nomeado”.

Caberá agora ao presidente do Eurogrupo, Paschal Donohoe, “informar oportunamente sobre o processo subsequente”, adianta o Governo.

A posição esta terça-feira conhecida surge depois de divergências entre os países do euro nas consultas promovidas por Paschal Donohoe para a sucessão no MEE, sendo que na ‘corrida’ estavam agora os ex-ministros português e luxemburguês das Finanças, João Leão e Pierre Gramegna.

O alemão Klaus Regling, que é diretor executivo do Mecanismo desde a sua criação, em 2012, terminaria o seu mandato a 07 de outubro, pelo que a sucessão no MEE deveria acontecer a partir de 08 de outubro.

TÓPICOS