De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Mundo

Cabo Verde e Luxemburgo cooperam no domínio da formação profissional

A ONG OGBL Solidarité syndicale, a UNTC-CS (União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical, a maior confederação sindical de Cabo Verde), a OGBL (a maior confederação sindical luxemburguesa) e a FACVL (Federação das Associações Cabo-Verdianas do Luxemburgo) assinaram a 19 de novembro de 2018 um acordo de cooperação e de financiamento para construir um Centro de Formação Sindical e Profissional em Cabo Verde, que deverá ser uma realidade em Maio de 2021. Estiveram presentes no ato da assinatura Joaquina de Almeida, secretária-geral da UNTC, Jean-Claude Reding, presidente da ONG OGBL Solidarité Syndicale, André Roeltgen, presidente da OGBL, Antónia do Rosário, vice-presidente da FACVL, Armand Drews, chefe do projecto junto da ONG OGBL Solidarité Syndicale, Albertina Ferreira, vice-presidente da Comissão das Mulheres Sindicalistas da UNTC-CS, e Sónia Neves, membro da ONG OGBL Solidarité Syndicale.

Um investimento de um milhão de euros

O centro de formação, que será construído no bairro do Plateau, na Praia, capital de Cabo Verde, está orçado em um milhão de euros e será financiado em 80% pelo Ministério da Cooperação do Luxemburgo e em 20% pela ONG OGBL Solidarité syndicale. As formações serão dispensadas nas nove ilhas habitadas do país.

Para Jean-Claude Reding “uma das formas de combater a globalização selvagem é desenvolver o sindicalismo no mundo, daí a importância de criar este centro. E fazemo-lo em Cabo Verde porque temos laços profundos com o país, já que parte da nossa imigração no Luxemburgo é cabo-verdiana”.

Prioridade às mulheres e aos jovens

Joaquina de Almeida explicou que este centro visa “formar dirigentes sindicais para reforçar o diálogo social e as negociações coletivas, mas também a defesa e a promoção da proteção social dos trabalhadores cabo-verdianos”.

Segundo a sindicalista “haverá uma discriminação positiva especialmente em favor das mulheres, já que estas representam mais de metade da população. Mas como são frequentemente elas as chefes de família, também nas famílias monoparentais, participam pouca na vida ativa e sindical. O nosso sindicato conta 30.000 membros e menos de 20% são mulheres. O centro de formação vai acolher trabalhadores, desempregados, e jovens recém-licenciados que não encontram emprego”, acrescentou a sindicalista, afirmando que por essa razão “será dada também uma atenção especial aos jovens, já que 40% destes estão no desemprego” (o país conta cerca de 540.000 habitantes).

A UNTC-CS é a maior e mais antiga confederação sindical de Cabo Verde, engloba 20 sindicatos, e desenvolve acordos de colaboração com a OGBL desde 1990.

André Roeltgen congratulou-se pela assinatura do acordo e recordou que “a OGBL tem por tradição promover a cooperação com os sindicatos dos países de onde provêm os trabalhadores imigrantes do Luxemburgo, porque nos interessamos pelas especificidades de cada um dos nossos membros”.

Formações em línguas e no turismo de baixo impacto ambiental

Armand Drews, chefe do projeto junto da ONG OGBL Solidarité Syndicale, explicou que o conselho de administração do centro de formação será composto por um representante de cada um dos signatários do projeto. O centro contará também uma comissão consultiva constituída por uma plataforma que reúne as ONGs ativas em Cabo Verde.

O responsável do projeto voltou a repetir a missão do centro: “Queremos propor formações em línguas e no turismo de baixo impacto ambiental, já que o turismo é um sector importante do país. As aulas deverão ser dadas no mesmo modelo que as formações de adultos da Câmara dos Assalariados do Luxemburgo (CSL). Mas temos primeiro de definir com a UNTC a estrutura do centro e o programa das formações. A missão do centro é desenvolver as competências dos sindicalistas e dos trabalhadores cabo-verdianos, levar a cabo uma política de promoção do emprego e dos direitos laborais, promover a proteção social, reforçar o diálogo social e, por extensão, conseguir reduzir a pobreza e a exclusão social em Cabo Verde”.

Para celebrar a assinatura do acordo, foi organizada uma “Jornada Cabo-Verdiana” a 17 de Novembro de 2018 em Lamadelaine pela ONG OGBL Solidarité syndicale, com o objectivo de angariar fundos para a construção do centro de formação. O serão foi um êxito.