De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Desporto

Porto volta a perder com a Juventus e é eliminado da Liga dos Campeões

O Porto voltou, esta terça-feira, a perder com a Juventus (1-0), na segunda mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, na qual os ‘dragões’ estiveram novamente jogar mais de 45 minutos em inferioridade numérica.

Tal como tinha acontecido no Dragão (2-0), em que Alex Telles foi expulso na primeira parte, o clube português voltou a ficar em inferioridade, depois de Maxi Pereira impedir com a mão um golo de Higuain.

O único golo da partida surgiu nesse momento, com Paulo Dybala a não desperdiçar a grande penalidade frente a Iker Casillas, que hoje se tornou no jogador com mais jogos em provas organizadas pela UEFA.

Tal como tinha acontecido no Dragão, a Juventus voltou a ser superior ao FC Porto, controlando o encontro, em especial na segunda parte, altura em que baixou o ritmo do jogo.

Os ‘dragões’ nunca mostraram argumentos para poderem incomodar a campeã italiana, tiveram dificuldades na construção de jogo – Óliver muito poucas vezes conseguiu ter a bola em condições e muitas vezes eram os centrais que tentavam o jogo direto – e apenas por duas vezes conseguiram acertar na baliza de Buffon, em dois lances em a bola saiu à figura do guarda-redes.

O treinador do FC Porto, Nuno Espírito Santo, manteve praticamente a mesma equipa dos últimos dois encontros, em que goleou o Nacional (7-0) e o Arouca (4-0), com Miguel Layun no lugar do castigado Alex Telles no lado esquerdo da defesa.

Assim, Iker Casillas estará na baliza, atrás de Maxi Pereira, Felipe, Marcano e Maxi Pereira, com Danilo, André André e Oliver no meio-campo e Brahimi, André Silva e Soares no ataque.

Na Juventus, em relação ao jogo do Dragão, Massimiliano Allegri fez quatro alterações, três delas na defesa, com as entradas de Daniel Alves, Bonucci e Benatia para o lugar de Lichsteiner, Chiellini e Barzagli, com Alex Sandro, ex-FC Porto, a ser o único ‘resistente’ no quarteto recuado, à frente de Buffon.

No meio-campo, Sami Khedira tem um novo parceiro, com o capitão Marchisio a jogar no lugar do mais criativo Pjanic, mantendo-se no ‘onze’ os quatro jogadores mais avançados: Cuadrado, Dybala, Mandzukic e Higuaín.

Apesar de estar em vantagem na eliminatória, a Juventus foi sempre mais perigosa do que o FC Porto, com especial destaque para as ações do argentino Dybala, que, logo aos três minutos, ameaçou, mas, após uma finta sobre Marcano, atirou por cima.

Já depois de Soares ter feito o único remate enquadrado dos ‘dragões’ na primeira parte, aos 10 minutos, Mandzukic esteve perto de marcar, mas, em excelente posição, acabou por atirar à figura.

Com muita dificuldade no jogo aéreo, o FC Porto esteve novo perto de sofrer aos 38 minutos, com o avançado croata a atirar ligeiramente ao lado, dois minutos antes, de Casillas fazer uma grande defesa a um cabeceamento de Alex Sandro, com Maxi Pereira a parar com a mão a recarga de Higuain.

O lateral uruguaio viu o cartão vermelho e Dybala não desperdiçou a oportunidade para colocar a Juventus em vantagem.

Em desvantagem numérica, o FC Porto até conseguiu criar as suas melhores oportunidades na segunda parte, mas, não sei antes, apanhar um grande susto, quando, aos 49 minutos, Danilo cabeceou para a própria baliza, obrigando Iker Casillas a uma excelente defesa.

Na resposta, Soares passa por Benatia e, isolado frente a Buffon, acabou por atirar ao lado, naquela que foi a melhor oportunidade dos ‘dragões’ em toda a partida.

Com a eliminatória na mão, a Juventus baixou o ritmo do jogo e não exerceu tanta pressão, permitindo que o FC Porto tivesse mais bola, mas, mesmo assim, os italianos podiam ter aumentado a vantagem, mas os remates de Pjaca (60) e Higuain (66) saíram ligeiramente ao lado.

A última grande oportunidade do jogo surgia na área da Juventus, aos 82 minutos, quando Diogo Jota tentou ‘picar’ a bola por cima de Buffon, mas atirou ao lado.