De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Mundo

Papa na Colômbia defende renovação da Igreja

O Papa presidiu domingo a uma Missa em Medellín, iniciando o quarto dia de visita à Colômbia, pedindo a “renovação” da Igreja perante os desafios da sociedade.

“A renovação não nos deve meter medo. A Igreja está sempre em renovação (Ecclesia semper reformanda)”, disse, na homilia da celebração, ao ar livre, que segundo a Conferência Episcopal Colombiana reuniu cerca de um milhão de pessoas.

Francisco realçou que esta renovação implica “sacrifício e coragem”, observando que na Colômbia há situações que “reclamam dos discípulos o estilo de vida de Jesus”, particularmente o amor traduzido em “atos de não-violência, de reconciliação e de paz”.

“Também hoje nos é pedido que cresçamos em ousadia, numa coragem evangélica que brota de saber que são muitos os que têm fome, fome de Deus, fome de dignidade, porque dela foram despojados”, acrescentou.

Os católicos, realçou o Papa, não devem ser cristãos que levam a placa de “passagem proibida” ou que procuram dificultar e proibir o encontro com Deus.

“A Igreja não é nossa, é de Deus; Ele é o dono do templo e da seara; todos têm um lugar, todos são convidados a encontrar, aqui e entre nós, o seu alimento”, precisou.

A intervenção evocou o exemplo de São Pedro Claver, missionário jesuíta espanhol que morreu na cidade colombiana Cartagena, em 1654, aos 73 anos de idade.

O religioso trabalhou na Colômbia durante 34 anos, particularmente ao serviço dos escravos vindos de África, sem “permanecer indiferente perante o sofrimento dos mais desamparados e ultrajados”, assinalou Francisco.

O Papa começou por agradecer às centenas de milhares de pessoas que enfrentaram o mau tempo para participar na celebração.

“Quero agradecer as horas que passaram aqui, inclusivamente à chuva. Infelizmente, houve um atraso significativo na viagem e vocês tiveram que esperar mais tempo. Obrigado pela paciência, pela perseverança e coragem”, disse Francisco, após a bênção inicial da Missa no aeroporto Enrique Olaya Herrera.

O pontífice teve de fazer em automóvel um percurso inicialmente previsto para helicóptero, por causa do mau tempo.

Na homilia da celebração, a mais centrada na comunidade católica, até ao momento, o Papa convidou os participantes a “ir ao essencial”, procurando um compromisso concreto na vida de fé, que é mais do que a “explicação da uma doutrina”.

As primeiras filas da celebração tinham lugar para pessoas doentes e para jovens em processo de reabilitação, além de um grupo de presos.

Francisco, que chegou na quarta-feira à Colômbia, onde permanece até domingo, já presidiu a celebração em Bogotá e em Villavicêncio, com vários apelos à reconciliação entre os colombianos após uma guerra civil de mais de 50 anos.