De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Mundo

Governo português condena com veemência atentado no Paquistão

O Governo português condenou este sábado, “com a maior veemência”, o ataque suicida de sexta-feira durante uma manifestação eleitoral no distrito de Mastung, no sudoeste do Paquistão, reafirmando a necessidade de acabar com “todas as formas” de terrorismo.

“O Governo Português condena com a maior veemência o atentado terrorista suicida que vitimou ontem mais de 120 pessoas num comício eleitoral na região de Mastung, no Paquistão”, afirma o Ministério dos Negócios Estrangeiros em comunicado.

A tutela acrescenta que “o Governo Português apresenta as condolências às autoridades paquistanesas e às famílias das vítimas e reafirma a sua firme condenação do terrorismo sob todas as suas formas”.

“O Governo Português manifesta a sua sincera solidariedade para com o povo paquistanês que saberá ultrapassar esta infame tentativa de desestabilizar o processo eleitoral em curso e que não abalará os fundamentos democráticos do país”, adianta.

Pelo menos 128 pessoas morreram neste ataque, entretanto já reivindicado pelo grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico, registando-se ainda 122 feridos, segundo o balanço mais recente.

O ataque teve como alvo um comício do dirigente político Mir Siraj Raisani, que morreu.

Um suicida detonou as bombas que tinha consigo no final do evento, que decorreu num mercado de Mastung, na província do Baluchistão.

“O atacante estava sentado entre as pessoas que participaram no evento e explodiu as bombas que carregava no final do evento”, disse o porta-voz da polícia Mastung, Sana Ullah.

Muitos dos feridos foram transferidos para vários hospitais na capital da província, Quetta, localizada a cerca de 35 quilómetros do local onde ocorreu o ataque.

Na capital, os serviços de saúde estão em “estado de emergência”, disse Muhammed Ramzan, porta-voz da polícia provincial em Quetta.

Este ataque foi o segundo ocorrido na sexta-feira durante um comício eleitoral no Paquistão, onde as eleições legislativas serão realizadas a 25 de julho sob um clima tenso.

Antes, uma bomba escondida numa mota explodiu perto de Bannu (noroeste), durante a passagem do comboio de outro candidato às eleições, matando quatro pessoas e ferindo outras 40, anunciou a polícia.

O candidato visado, Akram Khan Durrani, representante de uma coligação de partidos religiosos (MMA), sobreviveu ao ataque.