De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Motores

Equipa letã vence 24 Horas de Fronteira

A equipa letã composta por Igor Skoks, Rudolfs Skoks e Arvis Pikis, em Mitsubishi Pajero, venceu este domingo as 24 Horas Vila de Fronteira em todo-o-terreno, última prova da temporada em Portugal.

A vitória na prova foi discutida até ao fim. A cerca de uma hora do final, a formação da Letónia seguia no terceiro lugar e dificilmente conseguiria arrebatar o triunfo, mas beneficiou da desistência do MMP Evo 3 de Thierry Charbonnier, Paulo Marques, Alexandre Ré e José Pimenta, quarteto que ficou pelo caminho quando o veio primário do carro construído em França cedeu.

Minutos depois, quando faltava apenas meia hora para o termo, a equipa que dominou a segunda metade das 24 horas, constituída por Mário e Alexandre Andrade, Cédric Duple, Yann Morize e Luís Ribeiro, entrou nas ‘boxes’ e já não saiu com problemas de embraiagem no A.C. Nissan Proto.

A desistência das equipas luso-francesas fez com que a vitória sorrisse ao Mitsubishi Pajero de Igor e Rudolfs Skoks e Arvis Pikis, que cumpriram 118 voltas ao Terródromo.

“Conhecemos bem esta competição. Eu já participei sete vezes e a equipa já a fez por 13 ocasiões. Fizemos um excelente trabalho prévio e a tática funcionou. Já tínhamos conseguido o segundo e o terceiro lugares, mas ganhar é ganhar! Foi uma corrida incrível. A uma hora do final não acreditava que fosse possível vencer! O nosso carro esteve sempre a 100 por cento. Não tivemos nenhum problema mecânico e a vitória é justa, apesar do azar do nosso adversário”, afirmou Rudolfs Skoks, citado pela organiação da prova.

O pódio ficou completo com o Sadev Oryx de Barbry, Pierre e Louis Lauilhe, enquanto a equipa constituída por Michele de Nora, Michelle e Carlo Cinotto e Paolo Bachella, recorreu à X-Raid para, com um Mini All4 Racing, acabar em terceiro.

Na nota, a organização destaca ainda Victor Conceição, Nuno Pires e Tiago Rodrigues. No ano em que não houve pilotos portugueses no pódio, o que não acontecia desde 2005, a melhor formação totalmente lusa concluiu em quinto.