De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Comunidades

Centro Lusitano de Zurique quer ajudar seleção no particular com Egito

Se depender do Centro Lusitano de Zurique, Portugal vai ‘limpar’ o Egito e a Holanda nos particulares de sexta-feira e segunda-feira na Suíça e juntar este ano o título mundial de futebol ao europeu que ostenta deste 2016.

“Os treinos foram cancelados, pois praticamente todos os atletas têm bilhete, o interesse é enorme” para o encontro de Portugal com a seleção norte-africana, revela à Lusa o presidente, Armindo Alves, que, apesar de “lamentar o preço dos ingressos a 50 euros”, já os tem garantidos para si e toda a família.

Certo é que o clube que há dias festejou 34 anos – tem cerca de 400 sócios, incluindo um rancho folclórico, vai “parar” na sexta-feira, uma vez que as 11 equipas de futebol, “dos ‘fraldinhas’ aos veteranos, homens e mulheres, já fizeram saber da indisponibilidade para treinar, com o aval dos treinadores”, que também vão ao Stade Letzingrund.

A temperatura à hora do jogo (19:45 em Portugal, 20:45 na Suíça) deve rondar os zero graus, mas os lusitanos prometem acalorar a seleção com apoio incondicional, avisando que no fim do seu esforço esperam só ter motivos para celebrar.

“É mais uma bebida típica [portuguesa para festejar]… o prato português é o que estiver na mesa: come-se tudo”, brinca o dirigente, que já na final do Euro2016, no êxito 1-0 sobre a França, organizou uma festa no Centro Lusitano de Zurique que juntou cerca de 200 pessoas.

Márcio Loureiro, o treinador da formação sénior, quer assistir a uma vitória – “mesmo sendo um jogo a não valer nada” – e, não vá o profissionalismo esquecer-se de detalhes importantes, aconselha os jogadores a “aquecer bem, por causa das lesões”, que associa ao muito frio que se faz sentir em Zurique, atualmente rodeado de montanhas em neve.

A Fernando Santos, o ‘mister’ deixa a sugestão de “rejuvenescer” a seleção, pois preocupa-o o facto de haver “muitos atletas” acima dos 30 anos, e entende que é hora de abrir as portas a jovens como Ruben Dias, Gelson Martins, Gonçalo Paciência e André Silva, este aposta já habitual de Fernando Santos.

Paulo Silva, o capitão do Centro Lusitano de Zurique, garante que os emigrantes “sentem a seleção de outra forma”, pelo que prometem fazer com que o combinado luso sinta nestes dois jogos na Suíça que está a jogar na sua própria pátria.

“Cá fora sentimos as coisas de forma um bocadinho diferente. Por sentir mais falta [de Portugal] e não ter oportunidades de ver a seleção em Portugal. Mesmo sendo um jogo de preparação, vão ter grande apoio, tanto aqui como em Genebra”, assegura.

O jogador defende que Portugal tem vários atletas em “grande forma” pelo que vaticina um triunfo 2-0 ante o Egito e 1-0 sobre a Holanda, a melhor maneira de preparar uma “equipa competitiva para o Mundial” da Rússia.

João Carlos, o autoproclamado “homem golo”, perdoa Fernando Santos por ainda não o ter descoberto, uma vez que, assevera, brindaria a seleção com muitos golos: “Acrescentaria golos, que é o que falta aos pontas de lança”.

O confesso sportinguista não se importava de ingressar nos ‘leões’ no final desta época, garantindo que ao lado de Bas Dost faria com que os ‘verde e brancos’ “acabassem com a seca de campeonatos”.

“Se calhar conseguíamos resolver a situação sozinhos”, afiança.

À seleção, dedicava a música “Quem me leva os meus fantasmas”, mas quando a Lusa lhe passou o microfone para as mãos, foi outro o som que reproduziu: “Lá lá lá lá lá lá lá, Lusitano (…) O amor da minha vida”.

“Que o ‘macaco’, líder da claque da seleção, meta isto em prática, mas com Portugal no nome. Que sejamos campeões aqui [Centro Lusitano de Zurique, nos regionais] e no mundial”, concluiu.

O ‘duelo’ com o Egito está agendado para sexta-feira, às 19:45, em Zurique, na Suíça, e o embate com a Holanda será três dias mais tarde, às 19:30, em Genebra.

Depois destes particulares, Portugal já tem agendados mais três, em 28 de maio, com a Tunísia, em Braga, em 02 de junho, na Bélgica, e em 07 de junho, com a Argélia, em solo luso.

Em 09 de junho, a comitiva lusa parte para a Rússia, onde começa o Mundial2018 em 15 de junho, frente à Espanha. No dia 20, mede forças com Marrocos e, no dia 25, com o Irão, de Carlos Queiroz, em encontros do grupo B.