De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Colunistas

A tristeza sem voz

Diz-me, tristeza, conta-me tudo
Mas a tristeza ficou ali imóvel e silenciosa
Ela não tem voz
Ela sofre em silencio

Se a tristeza tivesse voz
Talvez o mundo fosse diferente
Talvez reagíssemos à dor alheia
Talvez essa voz tornasse as pessoas mais humanas

E eu, eu imaginei, a tristeza a falar
E o mundo transformou-se num ruído surdo
Fechei a porta do meu quarto
E chorei, chorei de ouvir a dor da tristeza espalhada por esse mundo fora

Mas, onde andamos nós seres humanos?
Onde andamos nós que não ouvimos a dor, a dor da tristeza sem voz?

Andamos ocupados numa vida fútil e à procura do fútil
Não sabemos dar valor a nada nem a ninguém
Queremos estar no nosso conforto
Procuramos o conforto para evitar o sofrimento
E não sabemos reagir à dor dos outros
Sabemos fechar os olhos

E eu, eu espero tu possas ver
Essa tristeza sem voz
Que anda por aí à tua volta.

BV 14.05.2018