De que está à procura ?

luxemburgo
Lisboa
Porto
Luxemburgo, Luxemburgo
Colunistas

A Humildade e o Respeito

Cresci com duas palavras, o Respeito e a Educação.

Nem me lembro quando as ouvi, essas duas palavras, pela primeira vez, talvez ainda estivesse na barriga da minha mãe.

Vivi ouvindo as palavras respeito e educação.

Esse era o lema do meu avô materno que chamarei aqui de avô.

Cheguei a este dia, onde nasceu o meu próprio lema, que também tem duas palavras: a Humildade e o Respeito.

Mas foram essas palavras do meu avô que me marcaram e que me fizeram crescer para eu as transformar nas minhas próprias palavras e no meu lema para a vida.

O meu avô foi a pessoa que mais me marcou na minha infância, ele foi essa pessoa que me marcou para sempre.

Eu era a neta adorada por ele e eu o adorava.

Não sei se ele soube ser um bom pai ou se ele soube ser um bom marido mas sei que foi o melhor dos avôs.

O meu avô era especial com uma educação fechada e nobre.

Ele me dizia sempre, o importante é o respeito e a educação, e hoje sei que ele o dizia para o meu Eu e para com os outros.

O meu avô era um Senhor e eu o tratava por senhor, nunca o tratei por você nem por um tu.

Ao chamar-me, eu respondia, Senhor. Eu bem via que à minha volta só eu tratava pelo meu avô dessa forma, eu e todos os netos. Lá fora, as outras crianças tinham talvez outro modo de falar para os avôs mas isso nunca criou nenhum tipo de distância entre eu e ele. Pelo contrário, eu era muito próxima dele, pois tivemos muitos momentos partilhados a dois. O meu avô foi carinhoso comigo mas através da sua forma de ser e de tudo aquilo que ele me quis transmitir.

Ele não era de afetos mas era com ele que eu ia tomar o meu pequeno-almoço aos domingos no seu toyota carrinha cor de café com leite.

E lá íamos todos os santos domingos fazer o nosso passeio ao som do fado da Amália e de muitos outros, esses fadistas de quem não sei o nome mas que reconheço nos fados ao ouvi-los.

E as minhas manhãs de domingo eram assim, o passeio a dois com o meu avô e o tomar o pequeno-almoço com direito a chocolates e a tudo o que me apetecia ao sair da pastelaria.

E foram nesses momentos privilegiados com o meu avô que ele me transmitiu a arte do saber vestir, pois ele era vaidoso e tinha muito bom gosto e andava sempre vestido a rigor como foi educado.

Durante esse tempo a dois, eu vi como os outros o respeitavam pois ele respeitava os outros, ele que tinha tido uma educação severa mas que transbordava de respeito e educação por onde ele passava.

Sim, o meu avô era um Senhor com S maiúscula que me deu o mais precioso que ele tinha, os valores essenciais e importantes para ele, o respeito e a educação e foram nesses valores que eu cresci.

Cresci e criei os meus próprios valores, a humildade e o respeito.

Eu transformei a palavra de educação pela humildade pois penso que é algo que me descreve e que quero conservar. E na palavra respeito, para mim, está incluída a palavra educação.

Ser humilde é saber ser grande sem o precisar demonstrar e é o saber donde vimos, reconhecer e respeitar as nossas origens.

Mas falta a palavra respeito pois é ela que me defini tão profundamente que faz parte da minha alma por completo. E sobretudo, por saber que o ser humilde não te permite o saber respeitar os outros.

Neste nosso mundo de hoje, nesse mundo de correrias, com os meios de comunicação permanentes, com as redes sociais constantemente a solicitar-nos, esquecemo-nos do respeito e damos desculpas e mais desculpas quando simplesmente desrespeitamos alguém.

Desrespeitar tornou-se algo de banal que até me assusta. As redes sociais contribuíram muito a esta triste realidade.

E termino aqui, agradecendo ao meu avô pelas suas palavrinhas mágicas, o Respeito e a Educação, essas palavras que fizeram nascer o meu próprio lema, Humildade e o Respeito.

Obrigada meu avô querido!

Da tua neta

BV 28.01.2018